quinta-feira, 28 de abril de 2011

Aí o meu avô disse que não viaja de avião porque tem medo de morrer. Disse que já não sobe tão frequentemente a sua rua porque dói-lhe as costas. Porque dói-lhe os ombros e as pernas, e porque pode morrer. Às vezes eu tenho a impressão que esperar a morte tem sido o seu principal propósito de vida. Que eu saiba, foi logo após ele ter sofrido o seu primeiro – e único – enfarte, há mais de duas décadas, que a morte tornou-se desculpa para ele não viver. É triste, mas ele ri. Talvez a ideia do seu próprio óbito lhe faça cócegas.

2 comentários:

Jean Valjean disse...

Sobrinha, a mim me faz também!

Fernand's disse...

há quem viva há tanto tempo à sombra das desculpas, que não sabe mais como continuar sem elas.





bjsmeus