quinta-feira, 24 de junho de 2010

L'ennemi – C. Baudelaire. Sugestão de versão: Jean Valjean, republicação inútil

Baudelaire

Ma jeunesse ne fut qu'un ténébreux orage,
Traversé çà et là par de brillants soleils;
Le tonnerre et la pluie ont fait un tel ravage,
Qu'il reste en mon jardin bien peu de fruits vermeils.

Voilà que j'ai touché l'automne des idées,
Et qu'il faut employer la pelle et les râteaux
Pour rassembler à neuf les terres inondées,
Où l'eau creuse des trous grands comme des tombeaux.

Et qui sait si les fleurs nouvelles que je rêve
Trouveront dans ce sol lavé comme une grève
Le mystique aliment qui ferait leur vigueur?

— Ô douleur! ô douleur! Le Temps mange la vie,
Et l'obscur Ennemi qui nous ronge le coeur
Du sang que nous perdons croît et se fortifie!


Jean Valjean

Foi-me a juventude toda tempestades,
ora entrecortadas por brilhantes sóis.
A chuva e os trovões destruíram-me herdades
onde plantei flores, nos bons arrebóis.

Hoje entristecido, no Outono da vida,
preciso tomar de um arado e uma enxada,
por reconstituir minha nesga destruída,
em que há covas fundas - túmulos sem nada.

Quiçá flores novas, sonhos de meu horto,
não hão de achar no solo que hoje está morto
místico alimento que as faça vingar?

Ó dor, ó dor! Passa a vida, o tempo fica,
e o obscuro inimigo, que nos faz sangrar,
do sangue que nos rouba se fortifica.

11 comentários:

Cosette disse...

Ué, será que esse Baudelaire foi da nossa família?! Será você a re-encardenação dele?

Deixa prá lá. Inútil é tentar me convencer que as tuas republicações são inúteis.

Jean Valjean disse...

Inúteis. Se você gosta, entretanto, fico feliz. Se ele era da nossa família, era de um patamar meio que lá pra cima, né não?
Abreijos!

Cosette disse...

Em vida, baseando-me nestes escritos, encontrava-se no mesmo patamar que você.
Depois foi lá para cima sim, pois que já está morto e enterrado há muito tempo.

Jean Valjean disse...

Hm... oquêi, está perdoada. Quer que lhe mande alguns chocolates da famosíssima Chocolat du Jour? Prefere da Crismel? Vão pelo Courier, facin, facin...

Cosette disse...

Eu? Eu nem sequer gosto de chocolate!

Velhinho Decadente disse...

Nada de inútil. Belíssima!
A Cô não gosta de choCôlate? Do que ela gosta, então? De sopa? De alface?

Cosette disse...

Amo sopa! Tomo de litros! O meu tio é testemunha. Ele vive me oferecendo chocolates da mais elevada estirpe, mas eu raramente aceito, né tio?

Jean Valjean disse...

Sopa? Acho que ela só toma sopa se derem de brinde/recompensa pra ela o José Mayer...

Cosette disse...

Upa! Aí eu tomo a sopa no José Mayer. Hahahahaha!

Sarah Slowaska disse...

Ai, haja mal gosto, hein Cô? Putz...Sou mais o Reynaldo.

Cosette disse...

Ou melhor: o Mayer seria a minha sopa! Hahahahaha! Eu sou demais.