quarta-feira, 7 de abril de 2010

Direitos que se perdem - remissão a Tântalo

Há direitos que se perdem com o tempo, com a idade.
Prazeres que eram reais, tornam-se tantálicos.
Tântalo, herói-anti-herói da mitologia grega, foi convidado para um opíparo festim no Olimpo. Acho que andava tendo um caso com uma das filhas de Zeus (uma das muitas. Rogo a quem deseje descobrir-lhe o nome que faça uma pesquisa no Google, que tudo sabe, só não sabe de China).
Quando o pobre e esfaimado Tântalo deparou com aqueles manjares deliciosos, não quis outra coisa senão furtar algum e trazê-los, do Olimpo, para os comuns mortais. E não é que foi descoberto?
Sua condenação, em virtude de tal conduta, foi a privação alimentar (pela eternidade). Se ele esticasse a mão para comer uma fruta, a árvore se afastava, e ele não lograva êxito. Se tivesse sede, debruçava-se sobre o lago e as águas se retraíam.
E assim Tântalo foi parar no inferno.
Nosso inferno tantálico está aqui. O passar dos anos é que nos traz - pelo crime de havermos vivido - a punição da retração da vida, em todos os seus aspectos.
Só mesmo quando nos inclinarmos para a tumba, então ela nos engolirá num bocado. Isso depois de termos passado muitos bocados e bebido vários cálices de amargura.

3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Desculpe a analogia... mas fiz uma paralelo desse castigo, com todas as delícias que vejo se afastando de mim por conta de eu não querer engordar... Que bobagem, né? Mas foi a primeira coisa que me veio a cabeça... rs... Mais uma vez me desculpe.


Beijocas

Cosette disse...

Sabe-se lá a razão, mas eu me sinto meio sem moral para comentar o que quer que seja ! Hahahaha
Todos nós somos uns tântalos, né? Principalmente eu, quando tento furtar algumas coisas do armário sem ser descoberta.

Por mim, se tiver comida lá no inferno - e se eu não for (a) comida - tá tudo certo!

Beijo tio!

Jean Valjean disse...

Ué... coincidência, ou as duas pensaram nos prazeres da gula? Hahahahahaha!
Abreijos, gente!