quinta-feira, 15 de abril de 2010

Eu, Jean Valjean

Eu sou sensual ... feito a dentadura, fora da boca.
Sou quente ... como uma lápide sem epitáfio.
Bonito ... igual trombada de trem com ônibus, sobre os trilhos.
Gostoso ... como buchada de bode com língua de vaca, jiló e quiabo.
Sensato ... feito leoa no cio.
Forte ... como as asas da borboleta.
Colorido ... igual ao céu nublado e, naturalmente, sem arco-íris.

As mulheres me perseguem...

...
...
...

Todas com o pau de macarrão em riste: uma é a proprietária do imóvel que alugo, pois estou atrasado em três meses, no pagamento; outra é a dona da padaria, onde faço fiado; finalmente, a minha mãe, pois não devolvi o dinheiro que peguei emprestado dela, no Natal.

É foda ser assim!

2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

"Gostoso ... como buchada de bode com língua de vaca, jiló e quiabo."

Affe! A unica coisa que provei e não como mesmo é jiló... ahahah... Dá pra substituir por um maxixe... ahahah

Beijocas

Cosette disse...

Só faltou aí umas frases que o meu pai está sempre dizendo:
" Pensa que é bonito ser feio?" ou " Pensa que é pouca bosta?"

Oh Deus, eu tenho um tio tão mentiroso! Dá até arrepio.