sábado, 10 de abril de 2010

Silêncio,
Calmaria.
É preciso que a vida se esvazie
Para poder se querer mais.
Entorno-a para o ralo da pia,
Abro a torneira e deixo que o lixo
Se ensaboe com a espuma.

Sou um copo de vidro,
Um corpo vazio prestes a transbordar outra vez.

5 comentários:

Jean Valjean disse...

Cazzu, várias vezes já pensei nisto, mas nunca logrei transformar em palavras. Eis que você consegue. Adorável. Sinestesia perfeita, metáfora violentíssima, emoção à flor da alma!

Le Vautour disse...

Você tem o dom da palavra, menina...

Cosette disse...

Ah, obrigada aos dois! :)
Quanto ao dom, Vautour, talvez fosse mais feliz se tivesse o dom do silêncio. Talvez? Com certeza.

Um beijo duplo.

Jean Valjean disse...

Vautour, só esta moça para nos fazer pensar, hein? Imagine os brados altissonantes do mais grandiloqüente silêncio... o silêncio, ah!, o silêncio, quem me (mo) dera!

Celamar Maione disse...

"É preciso que a vida se esvazie
Para poder se querer mais."
Simplesmente brilhante a frase.
Fala muito e mais alguma coisa.
Gostei.