quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Os ovos moles...



Rodo o supermercado feito um louco, e nada.
- Moça, onde estão os ovos moles?
E ela faz uma cara esquisita, franze o cenho, torce a boca e aponta numa direção X. Eu vou. Chego lá, eis que encontro os ovos. Ovo de galinha, sabe? É aquele que tem casca, vem na embalagem de papelão, enfim. Resolvi voltar a falar com a dita cuja:
- Moça, os ovos que você me apontou não são os que procuro. Quero ovos moles.
- Meu senhor, existe algum ovo que não seja mole? A casca é dura, mas quebra fácil. O que vem depois é mole!
Era daquilo que eu estava, mesmo, precisando. Ser tratado como retardado, no momento de desespero pelos ovos moles.
- Ok, moça, não faz mal. Vou procurar nas geladeiras, do outro lado.
- Senhor, a gente não deixa os ovos na geladeira.
- Obrigado, moça!
Fui para o outro lado do mardito PDA. Olhei as geladeiras todas, e... nada. Nisso vejo um rapaz, também funcionário da rede. A ele:
- Moço, onde estão os ovos moles?
- Ah!, os de Aveiro, né?
Aleluia... Jesus escutara as minhas preces. Exultei. Quase ergui as mãos para o Céu, a fim de louvar. Respondi, animado:
- Isso, os de Aveiro, que vêm naquele vidro grande, amarelos como o ouro, doces como a cana, perfumados como as flores orvalhadas nos vergéis da Alsácia (isto foi poesia para vocês, ok?, eu não falei para ele).
- Sabe, senhor, estão em falta.
- Glup... (barulho que o Maurício de Souza usa para os personagens dele que engolem seco). Em falta?
- É, às vezes a gente não fecha com eles, pois cobram muito caro. Tem que negociar, né, senhor?
- É...
Sem alternativa, resolvi apelar. Fui a outra geladeira e comprei um daqueles queijos franceses nojentos, que vêm com escorpiões, vermes, bactérias e espermatozóides dentro. Aqueles que você corta e precisa ainda tirar a no-to-cor-da, o cordão umbilical, e os fungos, cancerosos e cancerígenos, estão mastigando suas próprias metástases.
Comprei aquela bosta, uma geléia de pêssego e vim para casa. Jantei isso aí.
Nôja.
Sobrinha, eis aí. Não ria do pobre tio... mas um dia ainda vou contratar o Mayer, ligar a webcam e, quando você estiver toda animadinha olhando, beijo-o na boca, tá?
Jararaca mirim!!!

7 comentários:

Cosette disse...

PUTAQUEPARIU! eu levei um susto com esta foto!!!!! PUTAQUEPARIUUUU!!!!!! Nem li, tava indo TENTAR dormir. Amanhã comento.





































PUTAQUEPARIU!!!!!

Velhinho Decadente disse...

Que foto nojenta, Valjean! De qualquer forma, esta é a primeira vez que tenho dó de você. Já li a postagem abaixo, e acho que a Cô poderia ter sido mais moderada. Ou talvez você estivesse a merecer algo assim. Não sei o que se passa entre vocês, né?

Cosette disse...

Nóosssa, não tinha??! Logo no dia em que liguei a web p/ te fazer inveja? Hahahahaha! Fiquei com dó, viu? Eu aqui, com todos os ovos aos meus pés, e você aí correndo o risco do PDA não mais lhe proporcionar tal prazer.
Quer saber de uma coisa? Bem feito. É o destino. Você terá de os vir buscar pes-so-al-men-te.

Cosette disse...

Eles não vendem rocamboles recheados com aquele creme? Aqui tem, ó.

Mayer: Opa, faz isso! O meu sonho é ver dois homens se pegando! Hahahahahaha! Esgrima, lembra?

Quanto ao queijo...ÉCAAAAAAAAAA!Tem gente aqui em casa que adora. Eu fico com a geleia.

Sarah Slowaska disse...

Nossa, que foto! Olha, amei a resposta da moça, tá? " A casca é dura, mas quebra fácil. O que vem depois é mole!" Hahahahahaha! Ela é das minhas.

Le Vautour disse...

Cô, acompanho lá no Decadente-Desdentado a longa história-estória dos ovos moles que você ficou de mandar para seu tio. Sinceramente, eu acho que tais doces já deveriam haver chegado para ele. Será que foram extraviados no caminho?
Quanto à resposta da moça, a casca é dura, quebra fácil e o que vem depois é mole, fiquei em dúvida: isso é o ovo ou a cabeça do Jean?

Cosette disse...

Ué, mas nem você, nem o Deca, nem o meu tio me deram o endereço! Como poderei enviar?
Não, isso é o coração amanteigado do bochecha.