quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O texto é da Sarah - ( achado não é roubado!)


Tempo maldito. Causador da minha insónia e da rouquidão dos meus gritos. Vire-me do avesso, por favor. Permita-me exibir minhas veias aos olhos dos furacões e tornados. Deixe-me andar com o coração agarrado aos ossos das costelas, enquanto os meus olhos ameaçam saltar dos seus penhascos. Faça com que nas minhas mãos circule o sangue que me falta ao resto do corpo, pois somente assim serei capaz de escalar os imalaias que me encarceram. Roube-me de mim: prometo que não darei pela minha falta.

Liberte-me desta jaula a que todos chamam corpo, mas que eu denomino maldição. Rompa-me os tímpanos para que eu já não ouça as vozes dos que me habitam, e depois grite bem alto todas as verdades que sempre quiseste que eu escutasse. Prometo que o ouvirei com atenção. Cosa-me os lábios, corte-me as pernas, transforme-me num ser invertebrado. Deixe que eu me arraste entre os brotos e raízes, e ides para longe de mim. Leve-me para longe daqui, mas não contigo. Tu, que és por excelência o maior dos ilusionistas, transmute-se no casulo de onde eu não deveria ter saído.

7 comentários:

Sarah Slowaska disse...

Tá certo, eu só não rodo a baiana por causa do Jean.

Le Vautour disse...

Nossa, que texto maravinífico! Até criei uma palavra composta, para poder elogiá-lo ao extremo.
"Roube-me de mim: prometo que não darei pela minha falta" é de dar inveja em Schopenhauer e em Augusto dos Anjos.
Sarah, me diga o que o Jean tem, que eu não tenho! Deixe de rodar a baiana por mim, também.
Estou babando, babando, babando.
Cô, que linda escolha!

Jean Valjean disse...

Ai, a Sarah, a Sarah... eu entregaria meu posto para ela. E vocês duas escreveriam juntas. Ou então nós três...

Mari disse...

Noooossa...já senti toda essa vontade que consta nesse texto magnífico...Sarah...você é phodona mulher.

Bjo Bjo

:)

Cosette disse...

Como assim, daria o seu posto prá ela? Já quer me abandonar, bicho? E ainda mais como assim, nós três? Cê bebeu? Tá doido? Eu já disse que não te divido.

Sarah Slowaska disse...

Vautour: Você, o Deca e o Jean se completam. Eu só não rodo a baiana, por respeito a vocês três. Tá? Beijo e obrigada!

Jean: Vamos fazer um blog só nosso?

Mari: Vira e mexe a gente sente, né? :) Obrigada querida!

Cô: isso já tá virando doença, viu?

Jean Valjean disse...

Ih, Sarah, só nosso? Mas e a Cô, minha única sobrinha? Vamos supor que ela autorize. Eu não sairia deste aqui. Manteria os dois. Se ela deixar, pode ser, sim... mas por que não ficamos os três por aqui? Vocês decidem. Opinem, meninas, opinem!