terça-feira, 4 de maio de 2010

Do Papa aos Frutos do bosque.


Portugal está preparando a vinda do Papa. De um Papa que para mim não é Papa coisa nenhuma, não tem cara nem qualidades de um Papa, e a única coisa que ele papa são as pratadas de macarrão a bolognesa com provolone enquanto outros padres vão papando as criancinhas indefesas.
Ele virá a Lisboa, Porto e Fátima este mês. É claro que os crentes estão numa papação só. Construindo os móveis, os kilómetros de toalhas, a poltrona onde, segundo o mau pai “ será abarrotada de peidos”, as taças, as orquestras, a segurança, etc. Tenho a certeza de que será muito bonito, mas não adianta, eu não vou com a cara do sujeito e não acho que ele mereça tamanha dedicação.

Enquanto isso, eu vou assistindo as pancadarias físicas e verbais nos parlamentos. ‘Sê viu o que aconteceu na Ucrânia, tio? Eu só consegui rir. É aquele nível de pessoas que se encontram nos parlamentos. Por baixo daqueles fatos e gravatas, dos “ terninhos com medo de peido” – como, uma vez mais, diz o meu pai - está um bando de gente que para além de corrupta, é vergonhosamente ignorante.
O parlamento português não é muito diferente, só que em ves de ovos e das bombas de fumo, o ministro da economia faz chifres para o primeiro-ministro, que bem os merece para falar a verdade. A situação aqui está tão má, que desde 2007 que Salazar é considerado a figura mais querida entre os portugueses. Vira e mexe, eu ouço umas senhoras sussurrando: “ Ora pois, se existissem pelos menos três ‘ salazares ‘ por cada cidade, as coisas não estariam assim!”

O primeiro-ministro é simplesmente odioso, acho que ele fez estágio em Brasília, só pode. O Presidente é um b*sta. Ah, acho que não preciso de asteriscos, pronto, é um bosta. Parece um frade. Não tem punho para ser presidente e nunca opina sobre nada. A frase preferida dele é esta: “ Prefiro não opinar.” O homem não se compromete com coisa alguma, não quer sujar as mãos. Felizmente, este ano há eleições…não que elas resolvam alguma coisa, mas porra: tirem-me esta geleia daqui.

Ah, antes de terminar, preciso contar uma última muito boa: Numa cidadezinha qualquer, um porteiro foi preso por ter dado dois tiros (um na perna e outro no braço, ou na mão, não me lembro) a um drogado que estava assaltando uma escola. Acusaram-no por posse ilegal de armas, mas esse não é o verdadeiro problema. Prenderam o porteiro, que não fez mais do que defender o estabelecimento de ensino, mas não prenderam o drogado! Levaram-no para o hospital, trataram das feridas e deixaram-no ir, como se ele fosse um cidadão de bem. Pode ser uma coisa destas?
Enfim, e voltando ao Papa: seria óptimo se de última hora dissessem que ele não vem. No entanto, se vier, ficarei atentíssima à marca dos sapatos com que ele pisará o solo português. Sapatos Gucci, cueca Dolce&Gabbana, óculos Prada, ora pois…! Ele sim, deveria levar um banho, não de ovos, mas de camisinhas com sabor a frutos do bosque.

8 comentários:

Jean Valjean disse...

Direto de alguns ateólogos para o nosso blog: os títulos papais são VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS; VICARIVS FILII DEI; DVX CLERI.
Não querendo sugerir nada e, ao mesmo tempo, convidando a um cálculo, some os algarismos romanos de cada um dos títulos acima e me diga se todos não resultam em 666. Apocalipse, 13:18. Coincidência? Sei lá...

Jean Valjean disse...

Opa, me empolguei com o papo do papa e acabei esquecendo de responder à sua pergunta sobre a Ucrânia. Sim, vi. Ah, você sabe que lá é o único lugar do mundo em que a gente pode sofrer um traumatismo ucraniano, né? ai...

Jean Valjean disse...

E por falar na mesma coisa - papas (pajés) e presidentes (morubixabas), as orelhinhas do Ratzinger estão bem parecidas, nesta caricatura, com as do moLu(la)sco! Impressionante!

Jean Valjean disse...

Ah, sim, e por falar ainda em variações sobre o mesmo tema, você já percebeu que o Lula (acho que ele mesmo está virando moda) nunca sabe de nada? Até o primeiro escândalo de mensalão, nós tínhamos no Brasil o cônjuge traído como o último a saber. Depois disso, passou a ser o Lula, e com uma vantagem: às vezes, ele não é o último a saber. Ele é o único que nem chega a saber. Afinal... tome chifre, Brasil! E tem presidente por aí copiando o nosso? Uia!

Jean Valjean disse...

Percebeu que os meus três últimos comentários foram feitos assim, tipo seguidinhos, perto das 3 da matina daqui? Aí já são 7, pelo que você já deve estar para ir dormir... sonhe com papas e presidentes, ou então sonhe com o Dan Brown.

Cosette disse...

Respostas:

1ª - Também não sei, mas se depender de mim, não existem coincidências.

2ª - Hahahahahaha! Muito boa! Eu nunca na vida pensaria numa coisa destas...

3ª - Impressionante mesmo. Mas, lamento informar, eu já tinha pensado nisso antes. Hehehehehe!(milagre!)

4ª - Uia, e não foi ele que a semana passada foi considerado o cara mais influente do mundo?

5ª - Percebi sim. Não tinhas nada mais interessante para fazer, do que ler as babaquices da sobrinha? Humm...às 7 eu já estava dormindo. Fui dormir às 3 e tal daqui. Boa menina.

Jean Valjean disse...

Ué... só agora quieutô percebênu uma coisa: se o báculo dele é sagrado, v. quer que ele bote numa cueca Hering ou Zorba? Ele representa a bengala (ou o cajado, sei lá) de S. Pedro! A cueca tem que ser boa, sim!

Le Vautour disse...

Adorei as considerações da Cosette! Muito pertinentes, mesmo. E olhem, até que o Jean andou bem, na parte humorística. Justo ele, que costuma ser, no dia-a-dia, humor-impaired!
Abraço aos dois!