quinta-feira, 13 de maio de 2010

" O grilo pedindo silêncio!"


Sabe o que me irrita? Mas irrita mesmo? É gente que começa a falar no meio das notícias. A pessoa começa a tecer considerações antes mesmo d’elas terminarem, e isso é extremamente irritante, pois eu quero ouvir a porra da informação em paz. No fim, eu não entendo nem o que o repórter disse, nem o que o desinfeliz estava berrando na poltrona ao lado. E sabe o que me irrita mais ainda? No intervalo, o cara fica em silêncio.

Porra, agora fala!

Ps: entenda-se por desinfeliz, o meu pai.

6 comentários:

Jean Valjean disse...

Ô, coitado... ainda bem que ele não lê o seu blog.

Jean Valjean disse...

Mas peraí, que tem uma questão de lógica que eu deixei de considerar: é natural que se o mote que ele glosará é a notícia (um homem politizado, claro), por que haveria de falar durante o intervalo?? É só enquanto as notícias lhe aparecem aos olhos e ouvidos que se vê motivado a reagir. Ora, ora, ora!

Cosette disse...

Está bem. Então ele que fale quando a reportagem terminar, e não no meio dela! Já vi tudo, você é igualzinho, ora pois.

Le Vautour disse...

Vou dar uma sugestão como terceiro interessado tanto na paz da filha com o pai, como na paz da sobrinha com o tio. Cô, pegue uma prancheta, bote uma folha em branco e um lápis, ou uma caneta. Dê na mão do seu pai e peça para ele anotar - uma garatuja rápida, só um brevíssimo canhenho - que notícia ele quer comentar. Diga a ele o seguinte: pápis, o que tu falas é tão importante quanto o que o apresentador e o âncora falam. Tu és, pápis, para mim, um génio. Assim, quero que, durante a notícia, tu me permitas ouvir o que aquele senhor diz; depois, porque não haja eu entendido completamente, tu me inteiras do assunto, com teus brilhantes comentários.
E então? Não fica bom?
Abraços de duas asas aos dois!

Cosette disse...

Sabe que não é uma má ideia? Tentarei, mas acho que não resultará, pois ele não resiste. Quanto maior for a sua indignação, maior será o seu descontentamento e ainda maiores serão os seus discursos intermináveis que duram um telejornal inteiro.

Mas tentarei, thanks Vautour :)

Jean Valjean disse...

Sobrinha, pobre do seu pai. Seja mais indulgente com ele. Ou então veja o telejornal na sua cama, lá onde você fica... é... hm... on line?