quarta-feira, 24 de março de 2010

Não sou homem, não sou mulher

Cosette, você - como de praxe - me obrigou a mexer os neurônios. Falou lá embaixo de castelos, príncipes, princesas, etc, e me fez lembrar que muitas vezes ser homem me incomoda.
Ser do sexo masculino. Sexo me faz lembrar secção, departamento, divisão, subdivisão, burocracia.
Eu não posso ser apenas humano? Nem homem, nem mulher, nem corpo, nem nada?
Ser macho e ser fêmea. Troço estranho. Às vezes eu me sinto tão espírito, tão essência, que chego a me sentir espancado pela Natureza, que me deu um corpo e me impôs um sexo.
Quando estou com a libido lá no dedão do pé (digo, com a libido sob o dedão do pé esquerdo, pisada), eu não tenho sexo, eu apenas sinto, penso, vejo, ouço, reflito.
As melhores coisas no ser-humano não estão bem acima dessa setorização macho/fêmea?
Ou é o colesterol que me subiu às têmporas, e me embota o raciocínio?

3 comentários:

Cosette disse...

Estás certíssimo. A tua essência não é definida pela tua genitália. Isso é cultural. O homem isso, a mulher aquilo. Um dia, alguém acordou e decidiu que a bonequinha da porta do WC feminino tinha que usar um vestido, e o bonequinho do WC masculino, uma calça. Tape a parte final do vestido, e verás que somos todos iguais.

Jean Valjean disse...

Sinto-me um pouco mais confortável por saber que você aprova esta ideia maluca, mas é que às vezes me sinto mesmo anterior à questão sexual, aquém das subdivisões de prateleira.
Abreijos!

Dama de Cinzas disse...

Seus posts são bem legais, falam de coisas que penso e acho que só eu penso... ehehe...

Eu tb queria não ter que está enfiada em um sexo, queria poder ser homem e mulher ao mesmo tempo, ou nenhum dos dois, uma terceira coisa... ahahah

Beijocas