sexta-feira, 12 de março de 2010

Witt... eu amo esse homem

Wittgenstein tem o dom de me surpreender. Se ele pudesse aparecer, mortão da silva, à minha frente, eu me prosternaria, genuflexo, a seus pés, osculando-os respeitosamente.
Veja-se o que diz o Mestre (ele, meu ídolo atual), no capítulo X das "Investigações Filosóficas":
"1. Como é que chegamos a usar uma expressão como 'eu creio'? (...)
"2. A asserção 'creio que as coisas se passam assim' é usada como a afirmação 'as coisas passam-se assim'; e, no entanto a suposição de que eu creio que as coisas se passam assim não é como a suposição de que as coisas se passam assim.
"3. Assim, parece que a afirmação 'eu creio' não é a afirmação daquilo que a suposição 'eu creio' supõe!
"4. Do mesmo modo a frase declarativa 'eu creio que vai chover' tem um sentido semelhante, isto é, uma aplicação semelhante a 'vai chover', mas eu cri, então, que 'ia chover' não tem um sentido semelhante a 'então choveu'.
(...)
"10. 'Eu creio...' esclarece o meu estado de consciência. Desta afirmação é possível tirar conclusões acerca de meu comportamento. Há aqui também uma semelhança com as expressões de emoção, disposição, etc."
Temo – e acho que o Mestre também temia – pelos ditos filósofos e religiosos que fazem da expressão 'eu creio' outra, completamente diferente: 'é assim'; todavia, o Tratado Lógico-Filosófico de Wittgenstein, sétima (e última) sura, resolve a questão de maneira cabal: "acerca daquilo de que não se pode falar, tem que se ficar em silêncio'.

5 comentários:

Cosette disse...

Acho graça a estes homenzinhos. O que ele disse, não é novidade nenhuma, ou é? essa coisa do "eu creio". O que eu acho engraçado nele, e não só, é que eu entendo o que eles querem dizer, mas sem entender o que eles disseram.
Se você me pedisse para fazer um resumo com base no que ele disse, eu não seria capaz. Porém, se me pedisse para explicar o que está aí, mas com as minhas palavras, eu já conseguiria.

Porque é que ele é mestre, e eu não? Hahahahaha não responda.

Le Vautour disse...

Quem disse que você não é mestre(a)?

Cosette disse...

Vautour, eu não sirvo nem pra ser Mestre Sala de escola de samba....

Sarah disse...

Onde já se viu, chamar o Wittgenstein de "homenzinho". Onde já se viu...

Jean Valjean disse...

Neste post sou obrigado a concordar com o Vautour. Integralmente.