domingo, 7 de março de 2010

A revolta

Não sei por que isso se dá comigo, mas é assim desde os 11 ou 12 anos: às vezes acordo pela manhã e tenho NOJO do ser-humano. Nojo desse animal cretino, que evacua, urina, escarra, sua e secreta pensamentos que julga serem a apoteose da evolução.
Já em outros dias vejo a humanidade como seres pensantes (não deveria, mas vejo), buscando, lentamente, no pântano da vida, a orla do progresso em terra firme. Difícil, mas eles chegam lá.
E eu?
Eu nada... sou só uma coruja olhando. Olhões bem abertos.

6 comentários:

Cosette disse...

Nossa, até ontem eu achava que só seu pensava assim....


Ah, por falar em coruja. Há cerca de 3 semanas, ofereci uma ao meu irmão. Linda, pintada a mão, com uns olhões enormes. Agora eu sei com quem ela se parece! Meu tio-coruja.

Jean Valjean disse...

É o DNA...
Uma vez eu fiz uns versos em que imitava o ruído da coruja. Eu lá, paradão, olhando. Zoião pra cá, zoião pra lá... ficaram uma b*sta, eu apaguei. Qualquer dia faço outros. Sinto-me coruja. Aliás, nossa família é estranha, pois eu sou irmão do seu irmão, sou seu tio e, hoje, você me adotou como filho. Avemariacheiadegraça...

Cosette disse...

Tio,
As nossas condições de parentesco são das mais bizarras que há. Mas eu sou a vítima de tudo isso. Eu nasci depois. Sou a caçula, ou a nanica e a pirralha, como dizia o outro nos momentos de humilhação. Eu sou uma consequência da junção das vossas células, cromossomas e saliva. Sou a união de alguns pedaços das vossas costelas.
O que aconteceu para você ser irmão do meu irmão, eu ser a tua sobrinha e você o meu tio, eu não sei. Há dias em que chego mesmo a pensar que nasci de um de vocês..... Nossa!Será?

Cosette disse...

Vamos chamar o Mulder e a Scully do arquivo X para investigarem.

Le Vautour disse...

Não sei o que vim fazer aqui, hoje. Vocês dois estão ficando doidos!

Sarah disse...

Impossível. Impossível a Cosette ser da mesma família do Jean. Impossível. Essa história tá muito mal contada.