quinta-feira, 22 de julho de 2010

Quando a vida perde a razão de ser.... ( A VERDADE)



Ontem fui dormir aos prantos. Finalmente me apercebi que o meu tio não gosta de mim. Só sirvo para resolver os seus problemas amorosos, as suas dores intestinais, para ver novelas sem o Mayer e para dar-lhe alguns auxílios acerca do youtube pornô. Enfim, ele me explora e não sente remorso algum.

Mas a estúpida sou eu, pois rezei durante anos para ser a única sobrinha, de modo a tê-lo só para mim, pensando que seria mais amada por ser exclusiva! Ó vida, como dói a desilusão da ilusão! O quê fiz, meu Deus, para ser tratada pior do que um farrapo transformado em tapete da porta de entrada? Onde foi que eu errei?

Eu fiz as maiores loucuras por ele: aceitei tomar sopa fria, comer ovos-moles às colheradas, mastigar nabos estragados, comer macarrão com feijão gelado, porções de frituras gordurentas logo pela manhã, potes gigantescos de nutela… hum…Passei madrugadas inteiras vigiando as sua febres, dei remedinho, dei sopinha na boca, fiz papinhas de aveia com mel, os mais variados tipos de sobremesas, dei apoio moral nos momentos em que os seus intestinos deram nós de marinheiro, o defendi quando alguém quis lhe bater… (pausa para respirar) … ajeitei as cobertas, passei a roupinha, comprei gravatas, levei para passear, comprei sorvetinho, levei ao cinema, comprei pipoquinha, fiquei acordada até amanhecer só para fazer-lhe companhia, dispensei as suas peruas, partilhei da sua insónia, dei conselhos, deixei que ele chorasse aqui ó…no meu ombro! E é só eu arranjar um namorado, que ele começa a dar chiliques? A berrar que não lhe dou atenção? Que já começa reclamar só porque eu não preparo a água da banheira dele? Ó, dor! O quê foi que eu ganhei com tudo isso? Broncas! Puxões de orelhas! Abanões! Tropeções!

Maldita a hora em que aceitei partilhar um blog! Isso aqui virou um campo minado! Aonde quer que eu olhe, lá está ele tecendo injúrias contra a minha pessoa, ameaçando me abandonar, despaixando os outros dois tios suplentes, me trocando por mulheres nuas e me isolando do mundo virtual! O meu tio, aos poucos, tornou-se no meu cativeiro! Alguém me salve! Alguém me acuda! Porque ele não tem janelas nem portas, e eu não consigo sair daqui de dentro!

 Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaá!

7 comentários:

Jean Valjean disse...

Ó, o feitiço voltou-se contra o feiticeiro.
Fiz tudo por você, sempre. A ponto de você poder ir estudar na Europa. E quando peço um colinho para chorar as mágoas de um velho infeliz, um coitado que não tem um gato para puxar pelo rabo, eis que minha sobrinha, superdotada, hiper-aculturada, me larga para trás.
Hoje sou um senhorzinho, judiação de mim, com reumatismo, gota, osteoporose e... eis aí! Minha sobrinha, Universitária Européia, larga-me à margem. Sou um pária. Ela está entre os Brâmanes...
Vou me suicidar no plano 2, com a Dama de Cinzas.

Jean Valjean disse...

Fotos de mulheres nuas? Jamais. Isto foi só para ilustrar o post, pô!
Youtube porn? Red tube? Não! Não! Isso foi seu irmão que me indicou, eu nem vejo. Quanta inverdade. Só porque é cheia de estudos, de conhecimentos, pisoteia o pobre tio... ai, ai, ai de mim.

Velhinho Decadente disse...

Valjean, você, às vezes, me decepciona de uma tal maneira, que mal o aguento.
A menina é um anjo, tolera você tanto e quando eu vejo quamanha é a paciência dessa jovem com você, sinto vergonha - por você, é claro.
Desculpe-se com ela e não me aborreça, pois que não ando reconhecendo o cara que pensei fosse mais cabeçaberta, sabe?
Carrancista!

Cosette disse...

Ô Velhinho, confesso que exagerei um pouco. A parte dos abanões e puxões não é verdadeira. Meu tio nunca me bateu. Só isso, o resto tudo é.

Tio, é verdade. Estou aqui graças à você e agradeço, e só não volto ao Brasil porque VOCÊ não deixa!Não deixa, nem me vem visitar, ou seja: Você me quer beeem longeee! Por isso, as tuas queixas de abandono não são válidas.

Mas eu tou chegando, viu? Aguarde-me. Nos finais de 2013, inícios de 2014 é nozes.

Jean Valjean disse...

Cô, quero pedir desculpas publicamente.
Se exagerei, se fui obtundente ao extremo, tudo isso se deve à minha carência atual.
Venha, sim. Se eu estiver vivo, hei de acompanhá-la por estas plagas tupiniquins.

Cosette disse...

Já disse: não se atreva, mas não se atreva mesmo a não estar vivo.
É claro que desculpo. Mas só se você também desculpar o meu drama, ó :D Hahahaha!

Velhinho Decadente disse...

Ih, Cô! O que é que seu tio babão não perdoaria a você? Está francamente dominado.
Não sei o que ele vai dizer, mas acho que vai desculpar - ou melhor, já desculpou - tudo!