quarta-feira, 21 de julho de 2010

Velho babão, bundão.


Esta semana, voltei a fazer as minhas corridas. Fiquei três meses impossibilitada de as fazer, e levei mais dois para criar coragem e entrar no rítimo. Tudo bem, há coisas piores.

Ontem, corri durante uma hora e meia, para acostumar. Cheguei em casa quebrada, morta de cansaço e de fome, querendo comer um boi. À noite, minhas pernas e coxas doíam. Tudo bem, há coisas piores. Comi meio boi e fui encontrar com o militar. Ou melhor: Fui encontrar com o militar e comi meio boi! Hahahahahaha!

Hoje a minha mãe disse que queria ir comigo. Amanheci quebrada, mancando, cambaleando. Enfim, arrebentada. Disse que sim, já sabendo que teria que adaptar o exercício não só por causa dela – que não corre – mas também porque não queria arrebentar os músculos. Fiz a mesma rota de ontem, só que metade do caminho correndo, metade caminhando rápido. Minha mãe ia bem atrás, caminhando, se assustando com aqueles cães que esperam você virar as costas para latirem, com os carros que surgiam de nenhures e tropeçando.

Repetimos o caminho umas oito vezes, até que eu disse:

- Fazemos esta última e vamos embora, tá?

Concordou. Virei a esquina e logo avistei um senhor lavando o carro. Pensei comigo: “ Pô, se esse cara me molhasse, era tudo!” Porque estava fervendo, apesar do vento. Quando me aproximei mais um pouco, a primeira coisa que reparei, foi: o velho tava com metade da bunda prá fora. Que nojo, senti vontade de sair correndo, mas não dava.

Disfarcei, continuei me aproximando, e não é que assim que passei pelo carro, o velho me ensopou as costas?! Eu não sabia se ficava p*ta ou se agradecia. Não fiz nada, subi na calçada para ver se ele faria o mesmo com a minha mãe. Mas não fez. Não sei se foi por ter se assustado com a sua cara zangada (cara de quem tinha visto tudo), ou porque só gosta de molhar ‘menininhas’.

O pior não foi isso. O pior é que eu estava toda de branco, e apesar da parte inferior ser mais grossa, a camiseta era finíssima, junto ao corpo, e o sutian enchia o saco porque não era próprio para corrida. Dá para acreditar? Cheguei em casa quebrada, molhada, chingando a minha roupa interior, faminta e, pior ainda, lembrando da cara de satisfação do velho babão.

Existe coisa pior do que isso?
Tio, me (s)acode.

9 comentários:

Velhinho Decadente disse...

Ah, este blog está ficando indecente. O inescrupuloso do seu tio com aquele post esdrúxulo lá embaixo. Você aqui falando da transparência de suas vestes e se fazendo de 'garota molhada', cuja pudicícia se vê através da roupa.
Vou ficar um tempo sem vir aqui. Sou um homem de princípios sólidos.
Hmpf...

Dama de Cinzas disse...

Prefiro não imaginar do que sou capaz de fazer se um velho, ou um novo, ou seja lá quem for achar que deve me molhar...

Acho que já disse que sou violenta... rs

Beijocas

Cosette disse...

Ó Velho, dando chilique? Eu só narrei o que aconteceu, ué. Nada d+!

Dama: Ah, mas desta vez não valeria a pena. O cara tinha a mangueira.

Jean Valjean disse...

Arre!, não entendi, de forma alguma, o p.t. do velhote. Está ficando louco? Ela foi vítima, Decadente, vítima, e você a acusa, como se culpada fosse? Que inversão de valores é essa?
Está precisando consultar o geriatra. Tsc, tsc, tsc.
Cô, estou com você e não abro. E veja bem: ele não serve para ser seu tio, pois é ou anda meio desequilibrado. Sai dessa vida, ô desdentado!

Jean Valjean disse...

Dama, você pegaria a mangueira do velho e poria na fuselagem dele? Agora fiquei curioso hahahahahahaha

Jean Valjean disse...

Ah, Cô, e tem outra cô-isa: se eu estivesse junto com você arrebentava o velho de tanto bater, tá bom?

p.s.: o Decadente anda imitando o meu jeito de escrever. Decadente, se manca!

Cosette disse...

Opa, finalmente você me defende de alguma coisa! É ler para crer.

Mari disse...

Esses velhos não se mancam mesmo (quer dizer, a maioria até usa bengala, enfim...)Dia desses no cachorródromo com o pequeno Hitlerzinho...eis que surge um velhote...velhote mesmo...tipo uns 70 anos...comportado até...com a bunda tampada...papo vai, papo vem...ele me solta que a ex-namorada dele tinha a minha idade...até aí tudo bem...q q tem demais, né?...mas o papo começou a ficar meio torto...me apontou o prédio onde ficava seu escritório...mas antes que a parada piorasse...gritei meu Hitlerzinho, que estava se acabando de fazer maldades...e fui-me. Fui-me embora pq se não seria um velho babão a menos no mundo.
:/

A Dona sua mãe é muito engraçada. Ela tem blog?

BjoAtéMais :)

Cosette disse...

Ah Mari...estes senhores...a gente passa cada uma né? Quando querem conversar, eu converso com todo o prazer, dou atenção e tal...mas alguns parecem que não se enxergam! Às vezes, tou andando tranquilamente e eis que ouço um sussurrar esquesito vindo das minhas laterais: são os velhos dizendo besteira. Que raiva!
Até agora não tive grandes razões para perder a compostura, mas se for preciso..

A minha mãe? Não! Hahahaha! Ela é engraçada, mas ao contrário da filha, não tem paciência para blogs :)

Beijo! Até!*